Segunda, 18 de Janeiro de 2021 17:01
(67) 99607-2306
Policial Ponta Porã

Após 10 horas de negociação, crise em presídio de Ponta Porã acaba e policial penal é libertado

Batalhão de Choque, Bope, DOF, Polícia Civil e Comando de Operações Penitenciárias estiveram na unidade e participaram das negociações

02/01/2021 09h07
Por: Redação Fonte: Midia Max
Foram 10 horas de negociação. Imagem: Divulgação
Foram 10 horas de negociação. Imagem: Divulgação

Após mais de dez horas de negociação, detentos da Unidade Penal Ricardo Brandão, em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, libertaram um policial penal que estava sendo feito refém desde às 16 horas desta sexta-feira (01). O interno que liderou o grupo solicitava transferência para Santa Catarina e os demais maior atenção nos processos judiciais. Segundo eles, a intenção dessa ação era chamar a atenção da mídia e da Justiça.

De acordo com a Agepen-MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) o motim na unidade teve fim por volta das 2h45 deste sábado (02) e o servidor foi liberado sem ferimentos físicos, mas recebeu os primeiros atendimentos pelo Corpo de Bombeiros Militar. “A Agepen garantirá a ele toda a assistência necessária”, disse a pasta.

Ainda, de acordo com a Agência, os três internos e outros quatro que também estavam envolvidos, foram transferidos para um presídio em Campo Grande. Os envolvidos responderão administrativa e criminalmente. “A Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio da Agepen e de suas forças policiais, adotou todas as medidas necessárias no sentido de minimizar os danos e a situação no presídio no momento é de tranquilidade. Ao todo, foram cerca de dez horas e meia de negociações”, declarou a Agepen em nota.

A situação de crise iniciou por volta das 16 horas dessa sexta-feira, quando o agente penitenciário foi feito refém pelos presos. Eles o renderam e o puxaram para dentro de uma das celas disciplinares. Outros quatro internos que também dividiam a cela, mas no momento permaneceram no solário, também estavam envolvidos. “Foi uma situação isolada e que não teve adesão do restante da massa carcerária, não configurando rebelião”, explicou a pasta.

Logo que a situação foi instalada, o presídio recebeu reforço na segurança com a presença de mais agentes penitenciários que se deslocaram até o local, assim como policiais militares da cidade. Também participaram do reforço, policiais do Batalhão de Choque, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Polícia Civil, Gisp (Gerência de Inteligência do Sistema Penitenciário) e Comando de Operações Penitenciárias. O Bope (Batalhão de Operações Especiais) também esteve no estabelecimento Penal, assumindo as negociações por volta das 22 horas.

“Os trabalhos se concentraram no diálogo e com responsabilidade, buscando-se ao máximo garantir a integridade física do servidor feito refém, bem como dos internos envolvidos, além de assegurar a segurança da unidade prisional como um todo. Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil acompanharam trabalhos”, finalizou a Agepen.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Dourados - MS
Atualizado às 17h59 - Fonte: Climatempo
27°
Muitas nuvens

Mín. 21° Máx. 27°

29° Sensação
8.5 km/h Vento
72.9% Umidade do ar
67% (25mm) Chance de chuva
Amanhã (19/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 28°

Sol com muitas nuvens e chuva
Quarta (20/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 29°

Sol com muitas nuvens e chuva