Fisk Adultos 2020
Sicredi
Eliton - Diego Farma & Farma
Fisk Crianças 2020
Probel
Sicredi - Investindo juntos
Fronteira

Abraji deve incluir assassinato de Veras no programa investigativo "Tim Lopes"

Léo Veras trabalhava havia mais de 15 anos na região de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com a cidade sul-mato-grossense de Ponta Porã

13/02/2020 20h57
Por: Redação
Fonte: Dourados News
Crédito: Reprodução/Facebook
Crédito: Reprodução/Facebook

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) emitiu nota nesta quinta-feira (13) lamentando a morte do jornalista brasileiro Lourenço Veras, conhecido como Léo Veras, assassinado com 12 tiros na cidade paraguaia Pedro Juan Caballero na noite de ontem (12).

A instituição informou que está avaliando a inclusão do caso no Programa Tim Lopes, que apura assassinatos de jornalistas e comunicadores no exercício da profissão. Atualmente o programa investiga as mortes dos radialistas Jefferson Pureza (GO) e Jairo de Sousa (PA).

A Abraji também cobrou agilidade das autoridades nos esclarecimentos das circunstâncias do crime. “Todo assassinato de jornalista é uma tentativa de calar o mensageiro, comprometendo a liberdade de imprensa”, pontua.

Veras respondia pelo site de notícias Porã News, que noticia a disputa do narcotráfico na fronteira entre Brasil e Paraguai, e já havia recebido ameaças de morte. 

“A Abraji se solidariza com a família, os colegas de profissão e os amigos do jornalista. E reitera a necessidade de autoridades acompanharem, com rigor, ameaças a jornalistas e comunicadores. É dever do Estado prover todos os meios possíveis para garantir a segurança dos profissionais de imprensa”, diz o texto divulgado pela Associação.

MARCADO

Léo Veras trabalhava havia mais de 15 anos na região de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com a cidade sul-mato-grossense de Ponta Porã, uma das principais portas de entrada de drogas e armas no Brasil. 

Em 2017, Léo Veras falou com o Programa Tim Lopes, projeto da Abraji, sobre o assassinato dos colegas jornalistas Paulo Rocaro e Luiz Henrique “Tulu” em Ponta Porã. 

Na época, Veras relatou que ele e a esposa quase não participavam de eventos sociais públicos, por medo da violência: “Eu sempre peço que não seja tão violenta a minha morte, com tantos disparos de fuzil”.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Dourados - MS
Atualizado às 17h11
32°
Poucas nuvens Máxima: 35° - Mínima: 24°
35°

Sensação

1 km/h

Vento

53%

Umidade

Fonte: Climatempo
Eliton - Construmil
Eliton - Escola Denise
Municípios
Mercearia Juninho
Lanchonete Point
Nicolly Laços
Últimas notícias
Eliton - Auto Brilho
Comercial 101
Everton Informática
Mais lidas
Anúncio
Anúncio