Sicredi
Eliton - Diego Farma & Farma
Probel
Papa Francisco

Papa: anunciar Cristo com delicadeza, construindo pontes, sem agressão

Chegada do apóstolo Paulo à Grécia e seu discurso em Atenas inspirou a catequese do Papa Francisco desta quarta-feira, 6

Canção Nova

Canção NovaAs noticias da Canção Nova aqui no IMPACTONEWS.

06/11/2019 10h24
Por: Redação
Fonte: Canção Nova

Nesta quarta-feira, 6, o Papa Francisco se reuniu com milhares de fiéis e peregrinos na Praça São Pedro, no Vaticano, para a Audiência Geral. Em sua catequese, o Pontífice deu prosseguimento às reflexões sobre o livro dos Atos dos Apóstolos, comentando o capítulo 17: “Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio”.

O trecho narra a chegada de Paulo ao coração da Grécia: Atenas. Ali, o apóstolo tem um impacto com o paganismo, mas ao invés de fugir, busca uma ponte para dialogar com aquela cultura, reunindo-se com as pessoas mais significativas. “Paulo não olha a cidade de Atenas e o mundo pagão com hostilidade, mas com os olhos da fé”, explicou Francisco.

Segundo o Papa, a atitude de Paulo leva homens e mulheres a se interrogarem sobre o modo como olham as cidades: “Nós as observamos com indiferença? Com desprezo? Ou com a fé que reconhece os filhos de Deus em meio às multidões anônimas?”, questionou.

Paulo escolheu o olhar que o leva a abrir uma brecha entre o Evangelho e o mundo pagã, afirmou Francisco. No coração de uma das instituições mais célebres do mundo antigo, o Areópago, o apóstolo realiza um extraordinário exemplo de inculturação da mensagem da fé: anuncia Jesus Cristo aos adoradores de ídolos, e não o faz agredindo, mas fazendo ponte, “pontífice”, comentou o Santo Padre.

Em seu discurso, o Papa observa que o apóstolo se inspira no altar da cidade, dedicado a um “deus desconhecido”, para então anunciar Aquele que os homens ignoram, e todavia conhecem-No. O Ignorado-Conhecido, disse o Pontífice, citando uma expressão de Bento XVI, convida todos a irem além dos templos da ignorância e a optarem pela conversão em vista do juízo iminente. Francisco completou: “Paulo chega assim ao kerygma e faz alusão a Cristo, sem citá-lo”.

Neste ponto, a pregação do Apóstolo encontra um desafio, explicou o Santo Padre: a morte e a ressurreição de Cristo é interpretada como tolice e suscita zombaria e escárnio. De acordo com o Papa, Paulo se afasta e a sua tentativa está prestes a falir quando alguns aderem à sua palavra e se abrem à fé.

“Peçamos também nós hoje ao Espírito Santo, que nos ensine a construir pontes com a cultura, com quem não crê ou com quem tem um credo diferente do nosso. Sempre construir pontes, com a mão estendida, nada de agressão. Peçamos a capacidade de inculturar com delicadeza a mensagem da fé, depositando sobre quem não conhece Cristo um olhar contemplativo, movido por um amor que aquece os corações mais endurecidos”, concluiu Francisco.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários