Eliton - Diego Farma & Farma
Sicredi
Probel
Brasil

Bolsonaro admite ter acessado gravações de portaria

Oposição promete denunciar o presidente por obstrução de justiça

03/11/2019 22h26
Por: Redação
Fonte: Terra
Bolsonaro foi citado por porteiro no caso Marielle, mas MP desmentiu o depoimento Foto: ANSA / Ansa - Brasil
Bolsonaro foi citado por porteiro no caso Marielle, mas MP desmentiu o depoimento Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O presidente Jair Bolsonaro admitiu neste sábado (2) que pegou o registro de gravações da portaria de seu condomínio, o Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro.

Segundo depoimento revelado pela TV Globo, um porteiro disse que "Seu Jair" havia autorizado a entrada no condomínio de Élcio de Queiroz, suspeito de ser o motorista do carro usado no homicídio da vereadora Marielle Franco e de Anderson Gomes, no dia do crime.

Além disso, o funcionário afirmou que Queiroz pedira para chamar a casa 58, que pertence ao presidente - Bolsonaro estava em Brasília na ocasião. No entanto, de acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, um áudio prova que o acesso de Queiroz foi liberado por Ronnie Lessa, acusado de ser o autor material dos homicídios e que mora no mesmo condomínio, na casa 65.

Poucas horas depois da veiculação da reportagem pela TV Globo, o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, postou um vídeo que o mostra tendo acesso ao registro de entradas e de chamadas da portaria do condomínio.

"Nós pegamos antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar. Pegamos toda a memória da secretária eletrônica, que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha", disse Bolsonaro neste sábado.

Após a declaração, os líderes da oposição na Câmara, Alessandro Molon, e no Senado, Randolfe Rodrigues, prometeram acionar a Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente por "obstrução de justiça".

"Bolsonaro confessou ter se apropriado de provas relacionadas às investigações de um crime. Queremos a devolução desse material e uma nova perícia, sem interferências", disse Molon no Twitter. A PGR é chefiada por Augusto Aras, indicado por Bolsonaro mesmo não estando na lista tríplice feita pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários