Sicredi
Eliton - Diego Farma & Farma
Probel
Oportunidade

Concurso TRF3 já possui banca definida para níveis médio e superior

Órgão atua sobre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Conversion

ConversionA Conversion é uma agência de Marketing Digital com foco em SEO. Desenvolvemos conteúdos jornalísticos exclusivos para o Impacto News de diversos temas, bem como: economia, política, cultura, saúde, concurso, esporte, entretenimento e geral.

26/08/2019 14h34
Por: Redação
Fonte: Conversion / IMPACTONEWS
Crédito: Gran Cursos
Crédito: Gran Cursos

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) definiu a banca que vai realizar o concurso autorizado para o órgão. De acordo com a publicação do Diário Oficial da União, a Fundação Carlos Chagas (FCC) será a responsável por elaborar e organizar as provas do certame. Com isso, o Edital TRF3 deve ser publicado em breve.

De acordo com informações da assessoria do TRF3, há hoje 504 cargos vagos em seções espalhadas pelas suas áreas de abrangência. A última vez que o tribunal mediu a vacância de posições, em abril, eram 40 a menos. Ainda segundo a própria instituição, a Seção Judiciária do Estado de São Paulo tem um déficit de 325 servidores, e a sede, na Avenida Paulista, em São Paulo, tem 160 pessoas a menos trabalhando.

O TRF3 é um órgão que atua sobre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. 

A presidente do tribunal, Therezinha Cazerta, informou que no Estado de São Paulo há uma vacância de 189 técnicos e 111 analistas, enquanto a sede paulistana tinha um déficit de 110 técnicos e 35 analistas. "Temos uma carência grande de servidores, sem possibilidade de novas nomeações", admitiu em reunião recente com membros do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal (Sintrajud).

No final de julho, dias após o Executivo dar aval para a realização do concurso TRF3, o Tribunal formou uma comissão especial para avaliar as condições orçamentárias e estudar os processos de realização do certame, além de escolher a banca organizadora. Os cargos foram definidos: serão contratados Técnicos Judiciários (área administrativa e área informática) e Analistas Judiciários (área judiciária e área informática).

Os salários previstos para os cargos, com base nas informações do Portal da Transparência, são de R$ 8,5 mil para Técnicos Judiciários de nível médio e/ou técnico e R$ 13,3 mil para Analistas Judiciários, com nível superior em Direito e Informática, dependendo da área.

Analista Judiciário - de acordo com especialistas consultados pela redação, o nomeado pela função pode atuar nas áreas Administrativas, o que exige formação em qualquer curso de nível superior; na área Judiciária, o que pede formação em Direito; ou ainda em áreas de Apoio Especializado, que solicitam que o candidato tenha registro em seu conselho de classe (Medicina, Psicologia, Comunicação, Contabilidade etc).

Trata-se de um cargo popular e necessário como o cargo de Escrevente. O salário pode chegar a R$ 9.400, dependendo do foro e da região.

Analista Judiciário - as atribuições podem ser também de natureza administrativa (recursos humanos, atendimento ao público, arquivos e afins) ou jurídica (trabalhar diretamente com o juiz). Há casos de oficiais de justiça que são responsáveis pelas sentenças que devem ser cumpridas.

O cargo de Analista Judiciário da Área Jurídica compreende atividades de planejamento, organização, coordenação, supervisão técnica, assessoramento, estudo, pesquisa, elaboração de certidões, pareceres, execução, conferência e redação de documentos; conferência de expediente diversos; laudos ou informações e execução de tarefas de natureza e grau de complexidade correlatos.

O Analista Judiciário em Área Administrativa terá atividades de execução qualificada sob orientação e supervisão, envolvimento funções de contabilidade, finanças e auditoria públicas; contar, em todos os feitos, antes da sentença ou de qualquer despacho definitivo, mediante ordem do juiz, os emolumentos e as custas; proceder à contagem do principal e dos juros nas ações referentes a dívidas em quantias certas e nos cálculos aritméticos que se fizerem necessários relativamente a direitos e obrigações; fazer o cálculo para pagamento de impostos; elaborar cálculos em geral, bem como proceder à contagem de custas e preparo de recursos; elaborar e efetuar laudos de avaliação; expedir certidões de atos e documentos de sua exclusiva competência; executar outras tarefas de natureza e grau de complexidade correlatos.

O último concurso do TRF3 aconteceu em 2013, quando 250 vagas foram preenchidas em São Paulo e no Mato Grosso do Sul.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.