Eliton - Diego Farma & Farma
Probel
Sicredi
Final de semana

Philippe Coutinho e Cristiane: um fim de semana de gala

Já fazia 11 meses que a Seleção feminina não vencia uma partida

10/06/2019 09h35
Por: Redação
Fonte: Terra
Cristiane cobra falta que resultaria em gol contra a Jamaica Foto: Denis Balibouse / Reuters
Cristiane cobra falta que resultaria em gol contra a Jamaica Foto: Denis Balibouse / Reuters

Sem o talento de Neymar, cortado da Seleção por causa de uma lesão de tornozelo, Philippe Coutinho foi quem se destacou na goleada do Brasil por 7 a 0 sobre Honduras, na tarde desse domingo, em Porto Alegre. Em que pese a fragilidade do adversário, um time que dificilmente sobressairia na Série D do Brasileiro, o meia do Barcelona jogou com leveza, com seus dribles característicos, deslocamentos rápidos, e acabou premiado com um gol, de pênalti.

Um pouco mais cedo, pela Copa do Mundo feminina, a Seleção interrompeu uma série de nove derrotas consecutivas para vencer a Jamaica por 3 a 0, na estreia de ambas na competição, disputada na França. Sem o talento de Marta, contundida, coube a Cristiane o mérito de conduzir o Brasil a uma vitória maiúscula. Ela fez os três gols da equipe, um deles numa cobrança de falta, com extrema categoria.

Já fazia 11 meses que a Seleção feminina não vencia uma partida - a última foi em julho de 2018 (2 a 1 sobre o Japão). Desde então, perdeu todos os jogos (duas vezes para os EUA, outras duas para a Inglaterra, e também foi derrotada por França, Canadá, Japão, Espanha e Escócia). O show de Cristiane tem, por isso, importância dupla. Ajudou a quebrar essa onda negativa e injetou confiança no grupo para a sequência do Mundial.

Já, entre os homens, Coutinho brilhou e fez a torcida esquecer um pouco de Neymar. Além do gol, foi autor ainda de várias jogadas de estilo, em duas delas a trave hondurenha evitou um placar mais elástico para o Brasil. Entendeu-se muito bem com Arthur e Casemiro no meio, e com David Neres, Richarlison e Gabriel Jesus, na frente.

Philippe Coutinho vai ter a chance em poucos dias de apagar a má impressão deixada com sua participação apagada no Mundial da Rússia, em 2018. Ele pode ser um dos nomes da Copa América, que começa na sexta-feira (14), com Brasil x Bolívia, no Morumbi. A situação no feminino é mais delicada, com grandes forças no Mundial. Mas Cristiane deixou claro que a Seleção não está na França para brincar.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.