domingo, 17 de fevereiro de 2019
(67) 99607-2306
Politica

09/02/2019 às 10h03

51

Redator

Deodápolis / MS

Educação sexual na escola interessa a todos os ministérios, diz Mandetta
Ministro da Saúde defendeu tema em assinatura de parceria entre ministérios para prevenção da gravidez na adolescência
Educação sexual na escola interessa a todos os ministérios, diz Mandetta
Mandetta diz que educação sexual é tema que passa por vários ministérios (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendeu hoje, em evento em Brasília, a educação sexual nas escolas. O assunto foi debatido durante cerimônia de assinatura de parcerias entre ministérios para prevenção da gravidez na adolescência.

Mandetta disse que defender a educação sexual nas escolas não é tema contraditório com o governo de Jair Bolsonaro. O presidente disse, em diversas ocasiões, que “quem tem de ensinar sobre sexo é mamãe e papai”.

“A gente pode discutir a forma, mas não o conteúdo, ele é transversal, passa por vários ministérios”, avaliou Mandetta.

Segundo o ministro, o debate é necessário nas escolas em consequência dos desdobramentos para a menina e para o sistema público de saúde: evasão escolar alta, aumento da mortalidade infantil, dos atendimentos de pré-natal, parto dificultado pelas condições precoces da mãe.

Conforme o Ministério da Saúde, a taxa de gravidez na adolescência no Brasil é de cerca de 56 adolescentes a cada grupo de 1 mil. Número maior que a taxa internacional, que é de cerca de 49 a cada 1 mil. Segundo a pasta, embora esse número esteja alto, houve, entre 2010 e 2017, redução de 13% de bebês de mães adolescentes. Meninas negras representam a maior proporção entre essas mães: 19,7% pardas e 15,3% pretas, seguindo a classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Convênio – Hoje, os Ministérios da Saúde, da Mulher, Família e Direitos Humanos, da Educação e da Cidadania assinaram parceria para traçar ações conjuntas até 2022 para reduzir a gravidez precoce.

Dentre os objetivos estão promover apoio profissional qualificado em prevenção à gravidez na adolescência, ampliar e qualificar o acesso da população adolescente aos serviços de atenção básica, fomentar ações educativas voltadas para adolescentes, famílias, sociedade civil e toda a comunidade. 

FONTE: Agência Brasil

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium